quarta-feira, 18 de dezembro de 2019

O glúten e o intestino



AMY MYERS
2019

Tradução: Google / Adaptação: Raquel Benati


(Essas informações podem ser muito úteis para explicar o impacto do glúten na sua saúde para seus amigos e familiares. Confie em mim quando digo, mesmo "apenas um pouquinho" de glúten pode afetar sua saúde!)


Quero explicar exatamente o que acontece no corpo de celíacos e sensíveis ao glúten quando comem glúten. 

O que é glúten?

O glúten é uma proteína composta pelos peptídeos gliadina e glutenina e é encontrada em alguns cereais, como trigo, centeio e cevada.

O glúten (do latim, "cola") é uma proteína que confere ao pão sua textura fofa e arejada e à massa a textura elástica. Também é usado como agente estabilizante em muitos alimentos processados, como molhos para salada e maionese. Está em quase tudo, desde produtos de beleza a alimentos embalados, medicamentos e suplementos.

Por que o glúten virou vilão agora?

A prevalência de deonça celíaca e sensibilidade ao glúten aumentou significativamente nos últimos 50 anos. Um estudo de 2009 mostrou que a doença celíaca aumentou de 1 em 650 pessoas para 1 em cada 120 pessoas nos últimos 50 anos, nos Estados Unidos. Alguns estudos sugerem que até 30% da população agora sofre de sensibilidade ao glúten. O que é pior, estima-se que 99% das pessoas com doença celíaca ou sensibilidade ao glúten nunca foram diagnosticadas; portanto, muitas pessoas estão sendo afetadas negativamente pelo glúten, mas a maioria não sabe disso.

Não estamos mais comendo o trigo que nossos antepassados comeram. Para ter o tipo de trigo resistente à seca, resistente a insetos e de crescimento mais rápido que temos hoje, hibridizamos esse cereal (foi feito cruzamento entre vários tipos de trigo para mudar suas caracterísitcas). Estima-se que 5% das proteínas encontradas no trigo hibridizado são novas proteínas que não foram encontradas em nenhuma das plantas de trigo originais. Essas "novas proteínas" fazem parte do problema que levou ao aumento da inflamação sistêmica, sensibilidade generalizada ao glúten e taxas mais altas de celíacos .

O trigo de hoje também foi desamidado, o que permite que ele seja solúvel em água e capaz de ser misturado em praticamente todos os tipos de alimentos embalados. Esta desamidação demonstrou produzir uma grande resposta imune em muitas pessoas. Por fim, em nosso mundo moderno e acelerado, com fast food na ponta dos dedos, estamos comendo muito mais trigo do que nossos ancestrais.

Então, o que acontece no seu intestino quando você come glúten?

Esteja você comendo um bolinho frito açucarado ou pão orgânico de 12 grãos, os efeitos do glúten no seu intestino são os mesmos. Quando a refeição chega ao intestino, a transglutaminase tecidual (tTG), uma enzima produzida na parede intestinal, decompõe o glúten em pequenos blocos (peptídeos) de proteína: gliadina e glutenina.

À medida que essas proteínas passam pelo sistema digestivo, o sistema imunológico do intestino, o tecido linfóide associado ao intestino (GALT), analisa-os quanto a substâncias potencialmente perigosas. Em pessoas que não tem problemas com glúten, as proteínas são absorvidas e ponto final. Naqueles com problemas com o glúten, o GALT identifica a gliadina como uma substância perigosa e produz anticorpos para atacá-la. Nos celíacos, esses anticorpos não atacam apenas a gliadina do glúten, eles também atacam a enzima transglutaminase (tTG), que foi o que originalmente dividiu o glúten em suas duas partes.

Essa enzima, tTG, tem várias funções, incluindo a união das celúlas absortivas em nosso intestino. Seu corpo coleta nutrientes absorvendo-os através das paredes do intestino e, quanto mais área houver, mais eles poderão absorver. Imagine tentar absorver um galão de água com uma toalha de papel versus uma toalha de banho. As vilosidades intestinais, que se parecem com dedos peludos, existem no intestino para aumentar a área da superfície e absorver nutrientes.

Quando os anticorpos que seu corpo produziu para se defender contra a gliadina atacam sua enzima transglutaminase (tTG), essas vilosidades podem se atrofiar, diminuindo sua capacidade de absorver nutrientes e permitindo que as paredes do intestino fiquem danificadas. Isso pode se manifestar nos sintomas digestivos, incluindo inchaço, constipação, diarreia, perda de peso, má absorção de gordura e desnutrição, como deficiência de ferro ou anemia, baixa vitamina D ou mesmo osteoporose. Essa atrofia das vilosidades é a marca registrada da doença celíaca, que é uma doença autoimune .


Como o glúten causa o aumento da permeabilidade intestinal, também conhecido como intestino permeável?

Regular a permeabilidade intestinal é uma das funções básicas das células que revestem a parede intestinal. Em pessoas sensíveis, o glúten pode fazer com que as células do intestino liberem zonulina, uma proteína que pode quebrar as junções apertadas que mantém as células do intestino unidas.

Uma vez que essas junções apertadas se separam, seu intestino é considerado gotejante ou com vazamento. Um intestino com vazamento permite que toxinas, micróbios, partículas de alimentos não digeridas e anticorpos escapem do intestino e viajem pelo corpo através da corrente sanguínea. Os anticorpos que escapam são os que seu corpo produziu para atacar a gliadina em primeiro lugar.

Qual é a ligação entre glúten, inflamação sistêmica e doença autoimune?

Infelizmente, esses anticorpos geralmente confundem mais do que apenas transglutaminase (tTG) com gliadina e acabam atacando outros órgãos e sistemas, da pele à tireóide e ao cérebro. É por isso que uma resposta exacerbada ao glúten é frequentemente combinada com condições autoimunes e o motivo daqueles com doença celíaca estarem em risco de desenvolver uma segunda doença autoimune. Eu sugeriria que:
-  se você tem uma doença autoimune, faça um teste para investigar doença celíaca e, 
- se tiver problemas com o glúten, faça uma triagem de autoimunidade.


Como saber se você tem problemas com glúten?

A maneira mais fácil de saber é retirá-lo de sua dieta por pelo menos 30 dias e reintroduzi-lo. Seu corpo sabe melhor do que qualquer exame. Se você se sentir significativamente melhor sem glúten ou se sentir pior ao reintroduzi-lo, é provável que o glúten seja um problema para você, mesmo que seus exames tenham resultados negativos. 

(Nota do Blog: se ao fazer esse teste você percebeu melhora na sua saúde, volte a comer glúten e busque ajuda de um gastroenterologista para fazer os exames de investigação de Doença Celíaca - exames de sangue específicos e endoscopia digestiva alta com biópsia de duodeno. Um diagnóstico correto  de doença celíaca depende do paciente estar ingerindo glúten diariamente antes de fazer os exames. Um diagnóstico correto pode salvar a  sua vida  e de  seus familiares. Doença Celíaca quando não tratada corretamente pode levar à morte).

Como tratar as desordens relacionadas ao glúten (doença celíaca / sensibilidade ao glúten não-celíaca / alergia ao trigo) ?

Eliminando 100% do glúten da sua dieta. Quantidades mínimas (traços) de glúten presentes nos alimentos por contaminação cruzada ou em medicamentos podem ser suficiente para causar uma reação imune em seu corpo.

Quando o glúten é um problema para Você, mesmo quando não conseguiu um diagnóstico oficial de doença celíaca, viva sem glúten. Você pode estar salvando sua vida ou a vida de alguém que você ama.





Texto original:

Nenhum comentário:

Postar um comentário